– A Puna Bio, uma startup de agrobiotecnologia, lançou o Kanzama, um biofertilizante que utiliza bactérias extremófilas da região de Puna, na Argentina.

  • O objetivo do produto é melhorar a produtividade das culturas, com base em 20 anos de pesquisa e 2 anos de testes em 19 locais.
  • Kanzama oferece maior fixação de nitrogênio, solubilização de fósforo e um aumento de 11% no rendimento com uma taxa de resposta positiva de 95%.

    O biofertilizante Kanzama da Puna Bio, derivado de bactérias extremófilas isoladas da região de Puna, na Argentina, promete aumentar a produtividade das plantações de trigo. O produto da startup de agrobiotecnologia é o resultado de 20 anos de estudos na área e dois anos de testes envolvendo 22 estudos, 12 especialistas em testes e 19 locais.

    Mais de 30 profissionais examinaram mais de 500 bactérias extremófilas para desenvolver uma solução para a nutrição das plantações. As principais funções da Kanzama incluem a fixação aprimorada de nitrogênio e a solubilização de fósforo, levando a uma maior cobertura vegetal, densidade de espigas e grãos por metro quadrado.

    A Puna Bio relata um aumento de 11% no rendimento com uma taxa de resposta positiva de 95%. O aumento de rendimento por hectare varia de 250 a 500 quilos, com um retorno sobre o investimento de 6:1. No ano passado, a startup investiu US$ 150 milhões em um centro de pesquisa na Universidad San Pablo, em Tucumán, concluindo o projeto em 18 meses.