Apoiada por fundos internacionais, incluindo Volt Capital e Framework Ventures, de São Francisco, e Circle Ventures, proprietários da USDC, a Kravata tem como objetivo resolver problemas de infraestrutura de transações na América Latina.

A Kravata, que processou US$ 215 milhões em seu primeiro ano com 20 clientes na Colômbia, está pronta para uma expansão significativa.

A estratégia de crescimento da Kravata está ancorada na tecnologia blockchain, oferecendo serviços como conversões de moeda para stablecoins, pagamentos internacionais, contas globais e conformidade.

Os cofundadores Felipe e Juliana Montes pretendem aproveitar a alta demanda por soluções abrangentes de transações, posicionando a Kravata entre as 100 maiores startups da Colômbia à medida que se aventuram em novos mercados.