A Lexter.ai, uma startup de tecnologia jurídica, arrecadou R$ 16 milhões em uma rodada da Série A liderada pela Alexia Ventures.

  • A empresa tem como objetivo levar a IA a mais escritórios de advocacia no Brasil por meio de um modelo freemium.
  • A plataforma de IA da Lexter ajuda os advogados com due diligence, elaboração de documentos e estratégia jurídica.

    Fundada em 2020, a Lexter.ai vem transformando seu modelo de negócios desde o surgimento da IA generativa. Inicialmente oferecendo IA básica para interpretar textos e classificar termos em contratos, a startup atendeu grandes clientes como Demarest, BMA Advogados, Cescon Barrieu, TozziniFreire e Lobo De Rizzo para due diligence de M&A.

    No último ano, a Lexter combinou sua plataforma proprietária com grandes modelos de linguagem (LLMs) para resolver os problemas cotidianos enfrentados pelos advogados. O produto, desenvolvido por uma equipe de 35 profissionais de tecnologia e advogados, pode ler e redigir documentos jurídicos, fornecer raciocínio jurídico para casos e delinear estratégias a serem seguidas pelos advogados.

    O CEO e cofundador Pedro Jahara enfatiza que o serviço tem como objetivo auxiliar os advogados, e não substituí-los. A IA da Lexter pode aumentar a produtividade em até 50% em tarefas como due diligence, moções iniciais e contestações legais. O objetivo é fornecer um rascunho para os advogados revisarem e aperfeiçoarem.

    Com o novo financiamento, a Lexter planeja adicionar mais recursos para garantir o uso diário pelos advogados. A startup tem como alvo pequenos escritórios de advocacia com até 10 profissionais, oferecendo um modelo freemium e planos a partir de 99 reais. A Lexter também tem como objetivo educar os profissionais sobre os benefícios da adoção de novas tecnologias, lançando um instituto em maio.

    Em 2023, a receita da Lexter cresceu 300% ano a ano, e a empresa agora espera crescer nove vezes. Como a IA continua a transformar o setor jurídico, a Lexter.ai está se posicionando para estar na vanguarda dessa mudança no Brasil.